Quem Somos

CIMVALES - Consórcio Público para o Desenvolvimento Regional dos Vales do Carinhanha, Cochá, Peruaçu, Japoré e São Francisco.
 
Informações gerais
 
O CIMVALES - Consórcio Intermunicipal Norte Mineiro de Desenvolvimento Regional dos Vales do Carinhanha, Cochá, Peruaçu, Japoré e São Francisco, foi criado em janeiro de 2013, sendo formado pelos Municípios de BONITO DE MINAS, CHAPADA GAÚCHA, CÔNEGO MARINHO, ITACARAMBI, JANUÁRIA, JUVENÍLIA, MIRAVÂNIA, MONTALVÂNIA e SÃO JOÃO DAS MISSÕES, Municípios estes que estão inseridos na área mineira da Sudene e região do semi-árido no extremo Norte de Minas Gerais.
 
A criação do Consórcio se deu por força da assinatura dos chefes do Executivo de um Protocolo de Intenções firmado, que visa o Desenvolvimento Integrado destes Municípios.
 
O CIMVALES tem sua Sede administrativa no Município de Bonito de Minas e possui como seu órgão Gestor e deliberativo o Conselho de Municípios, que é formado pelos representantes do Poder Executivo dos Municípios Consorciados e que hoje é presidido pelo Prefeito de  JUVENÍLIA - Rômulo Marinho Carneiro, e tem como Vice-Presidente o Prefeito de MIRAVÂNIA - Raimundo Nonato Pereira Luna.
É composto ainda pelos Prefeitos de:
CHAPADA GAÚCHA -  Jair Montagner .
JANUÁRIA - Marcelo Felix Alves de Araújo.
JUVENÍLIA - Rômulo Marinho Carneiro.
MIRAVÂNIA - Raimundo Nonato Pereira Luna.
MONTALVÂNIA - José Florisval de Ornelas.
ITACARAMBI - Nívea Maria de Oliveira.
SÃO JOÃO DAS MISSÕES - José Nunes de Oliveira.
 
SECRETÁRIO EXECUTIVO: Donizete Barros
 
Dentre as múltiplas finalidades do CIMVALES estão:
 
- Representar o conjunto dos entes que o integram, em matéria de interesses comuns, perante quaisquer outras entidades de direito público e privado, nacionais e internacionais.
 
- Implementar iniciativas de cooperação entre o conjunto dos entes para atender às suas demandas e prioridades, no plano da integração regional, para promoção do desenvolvimento regional.
 
- Promover formas articuladas de planejamento ou desenvolvimento regional, criando mecanismos conjuntos para consultas, estudos, execução, fiscalização e controle de atividades que interfiram, na área compreendida no território dos Municípios consorciados, entre outras.
 
- Planejar, adotar e executar, sempre que cabível, em cooperação técnica e financeira com os Governos da União e do Estado, projetos, obras e outras ações destinadas a promover, melhorar e controlar, prioritariamente, as ações relativas às suas finalidades específicas.
 
- Definir e monitorar uma agenda regional voltada às diretrizes e prioridades para a região.
 
- Fortalecer e institucionalizar as relações entre o poder público e as organizações da sociedade civil, articulando parcerias, convênios, contratos e outros instrumentos congêneres ou similares, facilitando o financiamento e gestão associada ou compartilhada dos serviços públicos.
 
- Acompanhar, monitorar, controlar e avaliar os programas, projetos e ações, o sentido de garantir a efetiva qualidade do serviço público.
 
– Promover o desenvolvimento sustentável dos municípios consorciados, entendendo-se este, como processo de mudança social e de elevação das oportunidades das comunidades locais, compatibilizando sempre o crescimento econômico, a conservação ambiental, acesso a água para o consumo humano e pequena produção familiar, habitação e o desenvolvimento social, a partir de um claro compromisso como o futuro e da solidariedade entre gerações.
 
– Promover a participação dos diferentes segmentos da sociedade nas ações conjuntas de desenvolvimento integrado da região; melhoria da qualidade de vida, em especial da comunidade rural; fortalecimento da agricultura Familiar e das cadeias produtivas; programas de assistência técnica, extensão rural e profissionalização de jovens e adultos, desenvolvimento urbano e controle do uso do solo.
 
- Atuar pelo fortalecimento e modernização de complexos e setores estratégicos para a atividade econômica regional, destacando-se o ramo da agricultura familiar, extrativista, agropecuária, silvo-agropastoril, o comércio e os serviços.
 
- Desenvolver ações estratégicas para o fomento do turismo regional.
 
- Desenvolver ações para o fortalecimento dos assentamentos, comunidades
quilombolas, comunidades indígenas e comunidades tradicionais.
 
- Atuar pela implantação de um sistema integrado de gestão e destinação final de resíduos sólidos industrial, residencial, da construção civil e hospitalar.
 
- Executar ações regionais na área de recursos hídricos e saneamento;
- Criar instrumentos econômicos e mecanismos de compensação para a gestão ambiental;
- Estabelecer programas integrados de coleta seletiva do lixo, reutilização e reciclagem.